história

   O Terreiro Vovó Benta foi fundado no dia 14 de Junho de 2013, numa construção teoricamente pequena, nos fundos da casa da Mãe Lilian de Iemanjá. O que era um lugar de reunir os amigos se tornou um terreiro. O pomar da família se tornou o Jardim dos Orixás. A garagem se tornou cantina e extensão da área para a assistência. O Cruzamento da Mãe Lilian foi realizado por Pai Jussaro de Ogum, com a presença de Pai Beco de Oxóssi e Pai Leonardo de Oxóssi, trazendo junto com a história de 10 anos como médium do Terreiro do Pai Maneco, também a honra de manter a sua raiz nos ensinamentos de Pai Fernando de Ogum. Além do Terreiro do Pai Maneco, como filha primeiramente do Pai Bitty de Ogum e posteriormente Pai Jussaro de Ogum, Mãe Lilian iniciou sua caminhada na Umbanda aos 17 anos. Neste pequeno espaço físico aconteceram muitas coisas grandiosas. Pessoas foram se encontrando. Alguns encontraram a sua fé, outros renovaram. Alguns desconstruíram totalmente pré-conceitos e iniciaram uma nova caminhada na Umbanda simples de viver. Neste pequeno chão, mais de 85 médiuns giraram por 1 ano e muitas pessoas foram atendidas com passes e consultas. ​​

  A expectativa era de que seríamos em 10 ou 12 médiuns no período de 1 ano e que atenderíamos umas 10 pessoas para passes e consultas por gira. Entretanto, mais pessoas foram chegando e a necessidade de ampliar foi eminente. A gira de quinta-feira nasceu para poder ajudar mais pessoas e aproveitar o espaço que tínhamos. Mesmo assim, em pouco mais de 3 meses a necessidade de um espaço maior se tornou realidade novamente. ​Preconizado pelos guias espirituais da casa (Vovó Benta e S. Curumataí) começamos a busca pelo novo espaço. Não encontrando o local, questionamos a Vovó Benta como poderíamos observar melhor para encontrar o espaço. Então, com muita paciência e carinho, ela nos informou que o lugar estava bem perto, que passávamos todos os dias por ele e que lá haviam 2 araucárias. Um dia depois, uma filha passa por um barracão no momento em que colocavam a placa para disponibilização. Mãe Lilian com mais alguns irmãos da corrente visitam o local e por mais sinistro que o local pudesse parecer, as duas araucárias estavam lá... então este era o local com certeza. As obras iniciaram e num mês foi possível iniciar as giras no local. A construção do espaço se deu através de doações de todos os filhos e amigos da casa. A construção do piso foi um fato interessante. Certa noite, já passava da meia noite, estavam mais de 20 pessoas, todas ajoelhadas pregando as tábuas para que a gira pudesse acontecer no sábado. Eram mais de 20 mãos construindo um único chão. Ninguém era profissional, mas todos com muito amor no coração. O resultado pode ser visto nas giras onde há união e amor de todos os filhos. 

   A Mãe Lilian sempre diz que o terreiro não é dela, que é da Vovó Benta e de todos que nele se fazem presentes. E é a mais pura verdade, pois o TVB hoje é um sistema vivo onde as pessoas podem participar, mas não só da gira, e sim da família TVB. Cuidam da casa, das energias, das amizades, do espírito, enfim... da sua existência! Hoje o Terreiro Vovó Benta abriga 4 giras, de terça, quarta, quinta e sábado. Todas formadas pela égide da Vovó Benta e com comando/supervisão da Mãe Lilian.